Clube da Pipoca » Conheça algumas das marcas de pipocas mais antigas e sua história

Conheça algumas das marcas de pipocas mais antigas e sua história

O Brasil é o segundo maior consumidor de pipocas do mundo, estando atrás apenas dos Estados Unidos. Só no ano de 2008 nos EUA, os dados apresentavam um consumo de 400 mil toneladas de pipoca com receitas desde a mais comum a todos os mais variados tipos. E o nosso país verde e amarelo não ficava muito atrás, consumindo em torno de 70 mil toneladas por ano. Mas, essa paixão não “vem de ontem”.

Mas esse sucesso não veio de ontem pra hoje, a pipoca precisou de muito tempo esquentando (de diversas e bizarras maneiras diferentes) antes de estourar e ser sucesso global. A história da pipoca começa pela primeira vez aproximadamente a 9.000 anos atrás: Em 1948 e 1950, pesquisadores descobriram resquícios arqueológicos de pipoca na Bat Cave, centro-oeste do Novo México, e seu tamanho variava de 5 cm até menos de 1 cm. Provavelmente consumidos 3600 anos antes de Cristo, comprovando a teoria de que os mexicanos conheciam a pipoca há milhares de anos.

Mas em 1880, Charles Cretors em Chicago, foi reconhecido por criar uma das primeiras pipoqueiras da história, após isso, popularizando a pipoca rapidamente. Hoje, são centenas de milhares de marcas disponíveis ao nosso alcance, todavia, vamos dar um retorno ao passado e conferir hoje o que podemos dizer que são algumas das fabricantes pioneiras a comercializar pipocas sob uma marca, vejam exemplos:

Jolly Time Pop Corn

A American Pop Corn Company é uma empresa familiar produtora de pipocas. Fundada em 1914, é a mais antiga empresa de pipocas dos Estados Unidos. A sua única marca, Jolly Time, é vendida globalmente e em todos os estados da América. Emprega 185 pessoas, e a sua sede é em Sioux City, Iowa.

Hoje, a empresa é dirigida pela quarta geração da família Smith, com a quinta geração também empregada. Venderam o seu milionésimo saco de pipocas de microondas em 2003.

General Mills

Após a Segunda Guerra, com a popularização da TV, houve uma pequena queda no consumo, porque os americanos abandonaram as salas de cinema para ficar em casa. Mas um fato foi fundamental para resgatar logo, o hábito de beliscar em frente à TV. Que voltou a aumentar a demanda de pipoca significativamente.

Em 1981, a gigante americana General Mills, registrou a primeira patente de pipoca de micro-ondas. Fato que foi responsável por um crescimento assustador do consumo do petisco. Mesmo a pipoca de microondas, diferente da normal, trazendo possíveis riscos à saúde em longo prazo, o consumo de pipoca após esta invenção subiu mais de 10 toneladas no ano seguinte. Pode parecer simples, mas para fazer uma pipoca de micro-ondas perfeita, é necessário saber algumas técnicas. Confira quais são elas neste post.

Diversas marcas pelo mundo

Também desde 1914, mesmo ano em que a The American Pop Corn surgiu, Butterkist nasce e é uma marca que lidera o mercado do Reino Unido até hoje, com 40% das vendas para eles. Além das centenárias, outras marcas pioneiras famosas são a Karmelkorn (1929) ou a Pop Weaver (1928), esta segunda que, foi a primeira marca no mundo a tirar o controverso Butanodiona ou diacetil, produto usado nas pipocas de microondas para dar um forte sabor de manteiga.

Tanto em cinema, aqui no Brasil ou no mundo, até em outras mídias e espaços de entretenimento como cassinos (https://casino.netbet.com/br/), parques de diversões (Beto Carrero World) e outros, costumam trazer esse visual “vintage” da primeira parte do século 20 que se seguiu adiante. Afinal, o básico que veio com esses clássicos combina tão bem com a pipoca que trazemos um pouco dessa nostalgia consigo. E você, lembra de alguma marca antiga de pipocas que ainda existe ou não existe mais?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.