Curiosidades

Entenda qual é o processo para transformar milho em pipoca

Como uma pessoa apaixonada por pipoca e curiosa, você já deve ter se perguntado: como que os milhos – amarelos e duros – se transformam em grãos brancos e macios? A mudança parece bastante radical e mágica, porém, trata-se de um processo físico.

Quer entender melhor essa fantástica transformação culinária? Veja só!

Não é qualquer milho

Quem desconhece como a pipoca é produzida pode acreditar que o milho usado é igual ao verde, mas que passou por uma desidratação. Na verdade, os grãos são da espécie Zea mays everta. Ou seja, se uma fábrica pegar outra versão não conseguirá produzir os milhos que se transformarão em pipoca!

Os milhos Zea mays everta possuem bastante água no interior, mas contam com uma casca dura e resistente. Além disso, há uma grande quantidade de amido dentro desses milhos.

Transformação mágica

Para entender o processo de produção da pipoca é bastante simples. Quando os grãos são aquecidos, a água que está no interior vira vapor e o amido se expande. A pressão nas paredes da casca vai aumentando até que fazer a estrutura se romper.

Lembra do amigo? Ele se torna sólido e ganha o formato de uma espuma. Isso mesmo, a pipoca que vemos, na verdade, é o amido interior que saiu para fora e uma parte do grão que estourou.

Porém, você sabe que nem todos os grãos estouram da forma que gostaríamos, né? Esses casos acontecem por alguns motivos, como: falta de água no interior e rachaduras na casca. Lembrando que os grãos não estourados são chamados de piruás!

Como se percebe, existem vários processos físicos por trás da transformação dos grãos em pipoca. São eles:

  • transferência de calor: ocorre por meio da condução, se a pipoca é feita na panela ou por ondas eletromagnéticas no caso do microondas;
  • mudança de fase: a água do interior muda para vapor por meio da ebulição;
  • diferença de pressão: é isso que faz com que a casca se rompa.

Dicas para fazer uma deliciosa pipoca

Agora que você entendeu mais sobre o processo de fazer pipoca, deve ter ficado com água na boca, né? Mas não se preocupe!

A seguir você verá alguns truques que podem deixar o alimento mais saboroso!

prefira as versões premium: que tal optar por um produto com mais qualidade já no mercado? A maior parte das marcas possui uma embalagem com grãos selecionados para pipoca. Segundo este Folheto do Atacadão, um dos exemplos é a pipoca da Yoki. A versão premium custa apenas alguns centavos a mais e costuma estourar muito mais, então, oferece um custo-benefício superior aos amantes de pipoca;

deixe os grãos de molho por dez minutos: isso ajuda a deixá-los mais hidratados e aumentar as chances de estourar na panela. Porém, depois de tirá-los da água, é necessário secá-los; organize os grãos uns lado dos outros: dessa forma, o calor será melhor distribuído;

mantenha o fogo baixo: pode até demorar mais, porém, ao usar o fogo alto, os milhos irão estourar depois que o óleo tiver queimado, o que prejudica o sabor;

faça um teste: um truque é colocar dois grãos na panela e deixar que eles estourem. Depois, você os retira e coloca os demais grãos;

coloque a manteiga só depois: sabia que apenas o calor da panela é suficiente para estourar os grãos? Mas se quiser uma ajuda, prefira óleo ou azeite, pois a manteiga tem muita água e pode queimar antes do milho.

Viu só como o processo por trás da produção da pipoca é fascinante? Aqui você viu ainda algumas dicas para deixar o alimento mais saboroso. Então, mãos à obra e bom apetite!

Comentar